• Ma. Viviane Rodrigues

VAMPS & FEMMES FATALE SÃO ESTEREÓTIPOS FÍLMICOS

Atualizado: Jun 1

* Este post faz parte do ensaio: A CIDADE DAS MULHERES MORTAS: A VIOLÊNCIA REITERADA CONTRA AS MULHERES NA PRODUÇÃO FÍLMICA E SERIADA. Ele será publicado na obra coletiva 15 anos da Lei Maria da Penha: Avanços e Desafios (Coordenadores: Bruna I. Simioni Silva; Larissa Ribeiro Tomazoni e Paulo Silas Filho).


VAMPS E SUAS NETAS, AS FEMME FATALE


Uma vamp é um estereótipo, um arquétipo - como explicado no artigo - de mulher glamourosa, fascinante, atraente, mas acima de tudo: malévola, desumana, desalmada, maldita e impiedosa. No cinema, elas destroem os pobre homens que caem nas teias delas.


Theda Bara em The Unchastened Woman, 1925.


Marlene Dietrich, O Diabo é Mulher, 1935


Lana Turner, O Destino Bate a sua Porta, 1946


Sônia Braga, Gabriela, 1975


Rita Hayworth, Gilda 1946


Glenn Close, Atração Fatal, 1987


Sharon Stone, Basic Instinct, 1992

MÚSICA

Ronda, Inezita Barroso, de Paulo Vanzolini, 1953


Sugar, Robin Schulz


O ANTÍDOTO ;)


Madonna

Do you know what it feels like for a girl, in this world :) ;)


"As meninas podem usar jeans e cortar o cabelo, usa camisas e botas. Porque não há problema em ser um garoto. Mas para um garoto parecer uma garota é degradante. Porque você acha que ser uma garota é degradante. Mas secretamente você adoraria saber como é .. Você não? Como é uma garota". A voz de Charlote Gainsbourgh, presente como uma narração no princípio da música, já ilustra que ela é um questionamento sobre o estereótipo, a misoginia presente na vida das mulheres. Madonna na música traduz uma geração de mulheres foi incentivada a ser independente, e, no entanto, como estas mesmas mulher inteligentes e talentosas são vistas como uma ameaça pelos homens.



5 visualizações0 comentário